sábado, 19 de julho de 2014

A Pequena Garota Sorriso - Parte VII

...Continuação...
Você tem que usar roupas como a minha. Short, tênis da moda, regatinhas. Fofas saias e elegantes vestidos. Além de andar sobre um salto como uma lady. Primeiramente toma esse dinheiro, e compre novas roupas. Primeiro compre um uniforme descente. Se você comprar, e ficar mais... Vou direto ao ponto: bonita. Porque você esta uma espiga de milho, te darei mais dinheiro para você renovar sua pessoa. Pode ter certeza que será um maior sucesso.
Jesamine: Eu já tenho uma calça apertada, dona Isabel. Usei ela uma vez, não provoquei olhares nenhum, nem tão pouco me senti confortável e feminina.
Dona Isabel: Feminina de verdade você ficaria com lindas saias... Você tinha que me conhecer jovem. Quando íamos para a balada todos ficavam aos meus pés. Eu era muito charmosa! Era não, eu sou! Você tem que ter confiança acima de tudo. Adote um estilo menos desleixado.
-Mister Alvim pagou a menina mais cedo, e ela estará contente com a graninha que Dona Isabel havia lhe dado. Mas Jesamine não parava de ficar tensa com medo da diretora no dia seguinte. Pensou bem antes de comprar seu uniforme novo. Ela assistiu um filme, filme não, pegadinhas com os idosos servindo-lhes um bolo que acabara de fazer. Às 19h ela foi embora, fazendo seu ritual do tchau e ouviu sussurros da dona Isabel sobre a música e as roupas. No mesmo instante que ela pôs seus pés para fora da Casa, seu telefone tocou. Era Luís Otávio que a telefonara perguntando onde estava.
Luís Otávio: Te esperei na sua sala para nós batermos um lero. Mas não tinha ninguém.
Jesamine: Eu não te devo muitas satisfações de onde eu vou não! (Risos) Mas estou indo ao shopping ver as novidades.
Luís Otavio: Ah, Jesa... Você não sabe o que te espera. O futuro a Deus pertence, viu?!
Jesamine: Poupe-me de suas gracinhas. Daqui a pouco seu crédito acaba!
Luís Otávio: Se acabar eu compro outro...
Jesamine: Luís Otávio, se for pra ficar assim, gastando atoa, e vou desligar.
Luís Otávio: Nossa, a princesa esta irritadinha hoje! Vou te encontrar no shopping, então! Qual loja você vai?
Jesamine: Não! Você não vai!
Luís Otávio: Não quero saber de blablabla, Sorrisinho. Eu vou, e ponto. Sou seu melhor amigo. Além do mais, é tarde para você ficar mostrando seu sorriso para qualquer um na rua.
Jesamine: Sua benção, Pai! (risos)
Luís Otávio: Esperarei você ao lado da lojinha de suplementos.
-Quando Jesamine chegou ao shopping, por sinal lotado, encontrou rapidamente seu fiel amigo todo suado, mas disfarçado com um bom perfume!
Luís Otávio: Está tudo bem, ou você precisa da Valeriana?
Jesamine: (ignorou) Vou a uma loja bem no térreo.
-Ela experimentou o look, e levou, porém na convicção de não usar, enquanto Luís olhava atento aos tênis.
Luís Otávio: Você tem que ver uma coisa... Não só ver, mas também aprender!
-Jesamine pensou em tudo que há no universo, se sentindo em uma poça de encrenca.
Luís Otávio: Eu quero te ver de um jeito diferente.
-E foi caminhando pela sessão de equipamentos de esporte&lazer, apresentando-lhe um skate. Jesamine até achou legal, mas não saberia lidar com aquele patinete sem guidom.
Luís Otávio: É super legal! Incialmente vou te emprestar o meu. Assim, você não mais precisará pegar sempre ônibus.
Jesamine: Hum, eu comprarei o meu, para prevenir-me de não escangalhar o seu. (e saíram...)
Luís Otávio: Eu vi que você estava comprando novos uniformes, mas patricinha. Eu gosto do seu estilo atual. Você não precisa de outro.
-Morrendo de fome, e sem responder ao comentário que por um lado ela gostou, por outro ficou furiosa, seu estoque de balinhas havia acabado. Então, com míseros R$0,50 ela adquiriu uma esfiha, pedindo para embrulhar para comer depois.
Saindo do shopping, Luís Otávio que já estava deixando Jesamine furiosa, mas feliz, convidou-a para ir ao seu lugar. Uma pista de skate, onde ela já começaria a praticar. Chegando ao local, haviam "treze mil duzentos e noventa e nove" pessoas. E todas elas experientes. Além disso, também havia a turminha de meninas que ficava babando nos gatos, os casaizinhos namorando, e os outros pilhavam e praticavam o esporte, fazendo o maior número de manobras radicais possíveis. O amado coleguinha de Jesamine, logo que chegou lá, foi correndo beijar as suas amigas e cumprimentar os amigos, deixando-a no meio dum nada onde não conhecera ninguém. Percebendo a falta dela, lembrou-se que levara Jesamine para aquele lugar, e que não podia deixa-la, nem por um descuido como aquele.
 Jesamine: Eu vou embora! Não vou, não quero, e nem preciso pagar mico e ser taxada de trouxa e nem fazer mais coleção de micos.
Luís Otávio: Que isso, flor! Perdão! Por favor, fica.
Jesamine: As pessoas deste século não tem entendimento da palavra ''não''.
-Secamente foi embora, confessando a si mesmo estar com ciúmes, chegou em casa, engoliu sua esfiha, pegou aquele trambolho que foi induzida a comprar. Definitivamente, ela nem conseguia ficar em pé com aquilo. Afinal, nem no salto ela se equilibrava, quem diria num skate. Skate não era a onda da menina desleixada, porém com um coração rosa. Acabou pegando seu livro de cabeceira, lendo por poucos minutos, ligou seu rádio baixinho, e dormiu!
-Enquanto ela dormia, Lunna e Isabella estavam no Dançatro com uma grande festa. Luís Otávio, após sair da pista de skate foi para lá à convite de seus amigos e amigas que se apresentariam lá. Todos se fartaram de tantas delícias. Boa parte dos alunos da Escola³ estavam lá se divertindo, como se não houvesse outro dia, nem ligando para as horas que eram.
~Quando amanheceu...
Jesamine estava decidida do que iria fazer. Para sua ''sorte'' ela acordou atrasada. Vestiu seu novo uniforme e foi para o shopping. Você deve estar se perguntando: O que Jesamine foi fazer no shopping logo bem cedo? A resposta é clara! Devolver cheia de fúria o skate!
Quando ela chegou lá, a loja ainda estava fechada e ela mais nervosa ainda. Ela já sabia que o dia prometida: havia de levar ''fumos'' da diretora e devolver aquela buginganga. Ao abrir a loja, foi direto a sessão de trocas, fazer um vale para trocar o skate e pegar uns patins. Mas como devolveram seu dinheiro, pegou-o bem contente. Agradeceu a vendedora pela agilidade e se arrependeu quando ela pediu que colocasse na máquina, tipo de caixa eletrônico o que achou da loja e dos vendedores. Alegando que não tinha tempo, a vendedora levou ela no carrinho, pois aquilo era o vital para loja. Pondo dez em todos os quesitos, ao terminar a máquina começou a sair confetes, cantar músicas, e sair bolas. Parecido muito com festa de aniversário. Rapidamente todas vendedoras foram lá conferir. A máquina com sua musiquinha divertida dizia que Jesamine era a cliente número 901 da quinzena. Sendo assim, a cliente 301 tem um vale de R$800 de compras super divertidas!
Pasma e contente, Jesamine retirou o vale da maquininha, sendo saudada por todas vendedoras! Num ato mal educado, se despediu dizendo que voltava depois! Mas ela não deixou em nenhum momento de sorrir!
Quando chegou na escola, ainda com serpentinas na cabeça, a diretora já a esperava no local. Quando Jesamine chegou, todos se redirecionaram a ela com seu novo visual com direito até a 'fiu-fiu'. Colocando ordem na bagunça, a diretora a olhou de cima, a baixo. Muito ansiosa por sua presença, começou a defender as 'populalizes', pois eram as únicas que não fugiram.
Aluna: Claro que elas não fugiram, elas estavam quase namorando o professor.
Diretora C: Fique em silêncio, senão a penitencia será maior.
A condenação de vocês será a de varrer uma semana todas as salas da escola e o pátio.
Jesamine: (em pensamento) É incrível como essa dona só me ferra no dia que eu tenho que ir para o Jornal.
-E no mesmo dia, havia uma provinha com simbólico valor de sete. Jesamine tinha se esquecido de quase tudo. Então, Fabiane que havia visto a prova lhe passou algumas respostas. Jesamine não colocou tudo idêntico. Vai que a situação piorava a situação com a direção?! Sorte dela, pois tinha questão errada que ela pensou e fez certa!
Chegando no final da aula, vem Luís Otávio...

Nenhum comentário:

Postar um comentário